quinta-feira, 11 de janeiro de 2018

Musiquinhas... continuo a adorar esta! BOM DESTINO


Foi p'ra fazer um bom destino
Que ela inventou com que se entreter
Dança os mais altos desafios
Que toda a alma pretende ter

Experimentou o desatino
Viu o seu esforço a querer se inverter
Ainda p'ra mais tendo aprendido
Nunca é tarde p'ra perder

Semeia o sol, colhe a tempestade
Quem paga p'ra ver?
Ninguém aposta no teu fracasso
Ninguém se abate se ele acontecer
Dizem que os bons não nascem por acaso
Tens tanto a fazer

Foi p'lo sabor do seu caminho
Que ela acabou por se convencer
Que avançava mais indo mansinho
Que em passos altos a combater

Onde plantou o azevinho
Cresceu o dom de saber ver crescer
Linda a promessa do destino
Se houver vontade de a manter

Semeia o sol, colhe a tempestade
Quem paga p'ra ver?
Ninguém aposta no teu fracasso
Ninguém se abate se ele acontecer
Dizem que um dom não desce por acaso
Quem tem, tem de o ter

Tu deste o fortúnio pelo amor
Não te restou mais nada
Provaste o grande dissabor
da fria madrugada

Quando assentou o teu sorriso
não te restava nada
Apenas tudo o que é preciso:
a paz da caminhada

Semeia o sol, colhe a tempestade
Quem paga p'ra ver?
Ninguém aposta no teu fracasso
Ninguém se abate se ele acontecer
Dizem que os bons não nascem por acaso
Tens tanto a fazer

quarta-feira, 3 de janeiro de 2018

Custa tanto...

Voltar ao trabalho depois das férias, andar sem horários, sem pressas, sem rotina, parar o relógio e ser só mãe, durante uns dias.
Que venham as próximas!

quarta-feira, 20 de dezembro de 2017

Árvores de Natal Originais


Nem tudo está perdido

Apesar de o S estar meio aborrecido com o mundo, por não existir Pai Natal lá vai ficando conformado com a ideia.
Hoje de manhã alguém lhe perguntou:
D. Amélia - Então Simão, o que pediste ao Pai Natal?
Simão - Já sei que o Pai Natal não existe.
Eu - Eu já lhe expliquei que cada pessoa tem na sua vida, um pai natal que cuida de nós e nos dá os presentes e temos que acreditar em alguma coisa se não, não tem graça nenhuma.
Simão - Pois é o meu é mãe natal e não anda de trenó, anda de nissan.
:)
PLiiim sou eu!


segunda-feira, 18 de dezembro de 2017

E foi a última vez

Fez ontem 6 anos que estivemos juntas pela última vez, para estares bem tinhas que estar completamente drogada, já não eras tu. Fiquei de mão dada contigo o tempo todo da minha visita e foi o último adeus.